esarcsenfrdeiwhiitpt

DIÓXIDO DE CLORO, OS FATOS LEGAIS

MMS, ClO2

O uso de dióxido de cloro não é proibido, simplesmente não é autorizado como medicamento e apresenta um dilema quanto à sua legalidade:

Dr. Guillermo Robertson, Comissário Federal da Comissão Internacional de Direitos Humanos.


Reivindicar direitos humanos:
Enquanto no Peru e na Argentina perseguem os médicos que atendem ao pedido de seus pacientes para que lhes apliquem dióxido de cloro, a Corte Internacional de Direitos Humanos ordenou aos países membros que retirem as normas que vão contra os direitos humanos .

Imagem

Agora se entende a razão pela qual a Ministra Pilar Mazzetti finalmente declarou que os médicos poderão fornecer Dióxido de Cloro sob tratamento informado.
"Direitos Humanos - Tratados Internacionais sobre Dióxido de Cloro:

  • Direito humano à informação
  • Direito humano à saúde

A Corte Interamericana de Direitos Humanos ordenou a todos os países membros da Comissão que, se houver alguma norma interna que vá contra os direitos humanos ou um tratado internacional que proteja os direitos humanos, o país deve cancelar a aplicação dessa norma.

La Declaração de Helsinque (com status de tratado internacional) do Associação Médica MundialEm seu artigo quarto, afirma que “é dever do médico promover e garantir a saúde, o bem-estar e os direitos dos pacientes, inclusive daqueles que participam da pesquisa médica. 

O conhecimento e a consciência do médico devem estar subordinados ao cumprimento desse dever. 

No sétimo diz que “a pesquisa médica está sujeita a padrões éticos que servem para promover e garantir o respeito a todos os seres humanos e para proteger sua saúde e direitos individuais.

No nono artigo ele fala sobre Direito à autodeterminação

Imagem

O Conselho Econômico e Social da ONU diz que as obrigações de proteção influenciam a adoção de leis ou outras medidas para garantir a qualidade dos serviços de saúde e garantir que os médicos e outros profissionais de saúde tenham experiência.


Se um médico aplica dióxido de cloro a pedido do paciente e por esse motivo ele é despedido do seu local de trabalho, é ilegal.A vontade do paciente está acima de tudo, devidamente informada.

 Se os médicos abandonarem um paciente por resistir ao uso de dióxido de cloro e ele morrer, eles terão responsabilidade civil e criminal, por negligência médica.

Caso algum familiar necessite desse tratamento, deverá fazê-lo por escrito e, em caso de recusa, deverá apresentar a reclamação ao diretor ou supervisor médico. E se não houver resposta afirmativa, dirija-se às autoridades governamentais.

Se o médico ou médicos usarem o argumento de que se trata de uma substância tóxica, devem ser exigidos os documentos científicos que o comprovem.

Sim um Ministro da saúde que seja devidamente informado da existência do dióxido de cloro e seu efeito curativo mesmo sem comprovação científica e o ignore, e se proíbe seu uso pelo público, pode ser relatado perante a justiça nacional, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos e a Corte Interamericana de Direitos Humanos.

Sim além disso Um oficial faz afirmações falsas sobre o dióxido de cloro ao mentir para a sua população, é uma violação do direito humano internacional à informação, que deve ser verdadeira e oportuna, pelo que pode ser denunciada em tribunal. E se isso causa a morte de cidadãos, pode se tornar um CRIME DE GENOCÍDIO.


Fonte: Guillermo Robertson, Comissário Federal da Comissão Internacional de Direitos Humanos.

Pode mesmo ser legal deixar pessoas morrerem pelo simples fato de o dióxido de cloro - um produto usado em doses adequadas e seguras - não ser aprovado por uma instituição? Quem é o responsável por essas mortes e o que se perde simplesmente tentando quando tudo é considerado perdido?

Há muita gente que simplesmente não tem tempo, até que a substância seja legalizada por meio de procedimentos milionários, que podem durar 10 anos ou mais até que possam ser aplicados.

Eu, pessoalmente, tenho certeza de que não pode haver lei governamental acima da lei humana que tente preservar a vida de maneira digna. 

Por isso, vou defender o direito de experimentar consigo mesmo, principalmente para as pessoas que não têm outra opção quando sofrem de uma doença terminal ou grave. Qualquer lei que proíba o uso voluntário se invalida por ser criminosa e atentar contra o direito fundamental à vida.

Nada pode estar acima do direito à vida e à autodeterminação.

Legalidade

Links recomendados

Contato

Se desejar, você pode entrar em contato comigo por e-mail para qualquer outra informação que não apareça neste site.

Últimas notícias

Redes sociais

Devido às múltiplas censuras recebidas pelas redes sociais e plataformas de vídeo, essas são as opções de divulgação das informações disponíveis

Newsletter

Qualquer dúvida relacionada ao dióxido de cloro acesse o fórum de Saúde Proibida, também disponível em App Android.

Certifique-se de se inscrever em nosso boletim informativo no idioma de sua preferência para receber notificações importantes relacionadas às terapias com dióxido de cloro.

© 2021 Andreas Kalcker - Site Oficial.